2/01/2013

Ernesto de Melo e Castro

Poesia de Ernesto Manuel de Melo e Castro



FestiPoa Literária 2011 - gravei o próprio Melo e Castro dizendo seu poema  "O Homem que viajava de Comboio"                                  





Poema inédito, enviado especialmente para a minha exposição CODIGO COLETIVO, projeção de poemas em QR CODE no Castelinho, 2011. 
Meu agradecimento e carinho pelo Poema Essencial

Ernesto Manuel Geraldes de Melo e Castro nasceu em Covilhã, Portugal, em 1932. Formou-se em Engenharia Têxtil pelo Instituto Tecnológico de Bradford, Inglaterra, em 1956 e Doutor em Letras pela Universidade de São PauloPoeta, ensaista e escritor, aleem de engenheiro, dedicou-se também ao ensino tecnológico. Foi Professor de Design Têxtil no IADE ( Instituto Superior de Arte, Design e marketing), em Lisboa, onde também exerceu as funções de Presidente do Conselho Diretivo do Curso Superior de Design até 1996. Residindo atualmente em São Paulo, é Professor Colaborador da USP na Área de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa. Praticante e teórico da Poesia Experimental Portuguesa nos anos 60, introdutor em Portugal da Poesia Concreta (IDEOGRAMAS,1961), é considerado pioneiro da videopoesia (RODA LUME, 1968 ). Entre 1985 e 1989 desenvolveu na Universidade Aberta de Lisboa um projeto de criação de videopoesia denominado SIGNAGENS. Atualmente está produzindo infopoesia. Desde 1950 até 1989 publicou mais de 20 livros de poesia que se encontram reunidos em TRANS(A)PARÊNCIAS, Sintra, Tertúlia, 1989, livro que ganhou o Grande Prémio de Poesia Inaset – Inapa de 1990. O livro de ensaios VOOS DA FÉNIX CRÍTICA, Lisboa, Edições Cosmos,1995, obteve o Prémio Jacinto do Prado Coelho, da Delegação Portuguesa da Associação Internacional dos Críticos Literários. Em Portugal os seus mais recentes livros são: ENTRE O RIGOR E O EXCESSO: UM OSSO ( poesia), Ed. Afrontamento, Porto, 1994; FINITOS MAIS FINITOS ( ficções), Ed. Hugin, Lisboa, 1996; VOOS DA FÉNIX CRÍTICA II, Edições Cosmos, Lisboa, 1998. Em Espanha : ESTORIA DOS ENIGMATICOS BIZONTES GEOMETRAS EN LASCAUX 15.000 A.C. TRATADOS EN COMPUTADOR FINAL DO SEGUNDO MILENIO D.C., Ed. Vertex, Mataró,1992; SUEÑOS DE GEOMETRÍA, cassete VHS de 30’, videopoesia, Ed. Menú, Cadernos de Poesia, Cuenca, 1993; 17 VISUALS + , RsalvoEdicions, Barcelona, 1996. No Brasil a sua bibliografia inclui: O PRÓPRIO POÉTICO (ensaios), São Paulo, Quíron, 1973; LITERATURA PORTUGUESA DE INVENÇÃO (ensaios), São Paulo, Difel, 1984 ; O FIM VISUAL DO SÉCULO XX, coletânea de ensaios organizada por Nádia Battella Gotlib, São Paulo, Edusp, 1993 ; VISÃO VISUAL ( poesia visual 1961/1993 ) Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1994 ; ENQUANTO JACTOS E HIATOS (poemas) São Paulo, Com-Arte,1994 ; ALGORRITMOS ( infopoemas), São Paulo, Musa Editora, 1998; Neo-POEMAS-PAGÃOS, São Paulo, Selo Demonio Negro, 2010 e outros, além de ensaios, videos, videopoesias, exposições de artes visuais.


blog: http://meloecastro2.blogs.sapo.pt/ e http://meloecastro.blogs.sapo.pt/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

pode gostar de...

Sandra SantosGatosMuseu do botao Arte erotica Codigo Coletivo

Traduzir